A afirmação política e social de Alexandria Ocasio-Cortez em noite de estreia na Met Gala



Alexandria Ocasio-Cortez decidiu transmitir uma mensagem arrojada com a escolha de visual para a Met Gala 2021.

Em noite de estreia no evento, a jovem parlamentário elegeu um vestido que deu que falar. Do branco associado ao movimento sufragista ao slogan “Tax The Rich” (“Taxem os Ricos”, em tradução livre) escrito em letras vermelhas na secção de trás, o momento serviu para invocar a atenção para os valores que defende. Além da geração da marca Brother Vellies, usou um par de sapatos e uma mala, ambos na cor vermelha, com as mesmas palavras escritas.

Desde entrou para o Congresso em 2019, AOC defende que os americanos mais ricos devem remunerar mais em impostos e pede um imposto de até 70% aos rendimentos superiores a 10 milhões de dólares. Uma proposta que foi elogiada por economistas progressistas, uma vez que o Nobel Paul Krugman.

“É sobre justiça e equidade no nosso sistema, e penso que esta conversa é particularmente relevante”, disse aos repórteres, na zebra vermelha, sobre a inspiração por detrás do look. “Falamos sobre apoiar as famílias trabalhadoras e ter um código fiscal justo. Muitas vezes, esta conversa está a acontecer entre pessoas trabalhadoras e de classe média, entre elas, e acho que está na hora de trazermos todas as classes para a conversa”.

Não demorou para que Ocasio-Cortez se tornasse um tema do momento no Twitter. Aliás, no final da noite, já havia mais de 100 milénio tweets dedicados à parlamentário e à afirmação “Tax the Rich”. Embora a iniciativa tenha sido celebrada e elogiada por muitos, também houve quem lhe apontasse o dedo pelo statement inflamatório feito num evento onde cada bilhete custa 35 milénio dólares e uma mesa pode chegar aos 300 milénio. Opiniões à secção, a estratégia resultou: as pesquisas pelo tema dispararam no Google, conforme a própria partilhou no Instagram Stories.

Alexandria desfilou na red carpet acompanhada por Aurora James, a diretora criativa da Brother Vellies, dando também destaque a uma pretexto à qual a designer dedicou toda a curso: concordar criadores e empreendedores negros e levar riqueza para a comunidade negra.

James é a fundadora do Fifteen Percent Pledge, um movimento que criou em junho de 2020 para desafiar os maiores retalhistas dos Estados Unidos da América a doarem 15% do espaço nas suas prateleiras a empresas com proprietários negros. Isto porque o coronavírus levou mais empresários americanos negros a encerrarem negócios do que os seus homólogos caucasianos ou hispânicos, por exemplo. Um facto preocupante e que reflete uma vez que o racismo sistémico do país levou a desigualdades económicas.

“A Aurora James começou há apenas alguns anos, com três mil dólares no bolso, a vender os seus trabalhos em feiras e agora está na Met Gala. E essa é a história da nossa cidade [Nova Iorque]; é a história de quem deve estar no centro, especialmente enquanto mulher negra e designer emigrante numa indústria onde isso está severamente sub-representado”, disse Alexandria Ocasio-Cortez.

Embora a indústria da tendência tenha feito alguns avanços nos últimos anos no que diz reverência à heterogeneidade, os negros continuam a ter uma representação insuficiente no setor. Portanto, AOC levou (mais) uma mensagem importante à Met Gala, que é um momento chave no calendário da social do país.

Link da fonte